sexta-feira, 2 de junho de 2017

Não existe o "Terrible Two".



Cara amiga mãe, não estou aqui para te dar uma excelente notícia...*risos*
Nem quero que você caia em prantos. 
Mas com certeza você já ouviu a expressão "Terrible Two", designada para descrever aquela fase birrenta dos bebecos a partir dos 2 aninhos.
Bom...passei 2x pelo Terrible Two, imaginando que ele seria de fato, muito mais Terrible do que realmente foi. 
E hoje em dia, quando as minhas amigas me perguntam, eu respondo: O Terrible Two não existe.
Na verdade existe o Terrible One...Two...Five...aqui, por exemplo, agora estamos no Terrible 10! (e eu sobrevivi os meus "Terrible 31"!)

É pra se apavorar? Não! Calma. Respira...
O que eu quero te dizer é que não ceda a toda pressão e marketing envolta desta expressão...é que não espere por ela como quem espera um monstro alienígena, armada e a postos sempre, pronta pro combate. Se desarme.
Não existe o "TERRIBLE TWO", porque na verdade o que existe são seres humanos recém chegados a este planeta, extremamente curiosos e ativos. 
O que existe, são crianças cheias de imaginação e que estão começando a explorar as coisas desse mundo...Isso inclui explorar a nós, pais, também.
Cada fase contém um "Q" de "terrible", e cada fase, felizmente, contém um "Q" de "Magic".
Cada ser humano tem sua intensidade particular de "terribles" e "amazings" moments! rsrs

É verdade que a partir dos dois anos eles começam a expandir a capacidade neurológica, eles desenvolvem a fala, melhoram a coordenação motora, já sabem pedir o que querem e recusam o que não gostam. E daqui pra frente é só evolução! 
A evolução é perceptível de um dia para o outro! É incrível!
Crescem, perdem roupinhas e sapatos em questão de 1 semana!
E não vou negar que é uma loucura!
Haja fôlego e PACIÊNCIA para acompanhá-los, viu.
Mas...em contrapartida, esse desenvolvimento também traz muitas alegrias! Pois eles começam a aprender com a gente, a demonstrar carinho e amor...Podem querer ficar mais grudadinhos na hora de dormir e totalmente independentes para tomar banho!
E quer saber?!
É um barato!
É uma fase que voa. Antes que nos demos conta...já passou. E eu garanto, logo mais, você vai sentir saudade. Acredite!

A minha pior fase por exemplo, foi o "Terrible Five", mas você já ouviu falar dela?! Vou te contar agora!
Minha caçula quando chegou aos 5 anos, começou a fazer coisas que não fez aos 2...por exemplo, colocar pecinhas na boca...fazer birra pra tomar banho...recusar comida...todo tipo de comida! (Só por DEUS!)
Reclamar do lanche da escola...Querer cortar o cabelo sozinha...gritar e questionar tudo o tempo todo.
Ela chegou inclusive a quebrar o bracinho e operar, porque foi fazer birra pra irmã e caiu por cima do braço. Acreditam?
Aos 2 aninhos, eles não têm capacidade neurológica para argumentarem, dizerem com total propriedade que detestam brócolis e que você não entende nada de tecnologia, manhê!
Mas aos 5...
A chantagem rola solta! Os dramas mexicanos perdem feio.
Agora estamos nos 6...no BLESSED SIX!kkkkkk e a Nicole voltou a ser a minha Nicole de sempre, meiga, elétrica e divertida. 
Temos nossos "terrible"? Temos. Mas de uma forma mais suave...Agora os terríveis momentos se concentram nas aulas de matemática!

O que eu fiz enquanto ultrapassávamos os 5´? Tentar dar mais atenção à ela.
Pode parecer loucura, mas muitas dessas birras são parar chamar nossa atenção, para testar nossos limites,  por isso tentei ainda mais, exaustivamente, o diálogo, embora muitas vezes tenha sido impossível dialogar, ela aprendeu como é ruim ficar sem desenho e TV...e aprendeu a pedir desculpas, na marra! Fizemos muita caminha compartilhada ao longo deste ano...mas também fui dormir chorando em várias noites, por estar fazendo um "péssimo trabalho" na educação dela. Minha filha mais velha não fez essas coisas...então, onde estava o erro?!
E aí eu acabei por me dar conta, que os "terrible" independem da nossa vontade, do tipo de criação que damos a eles.
Os "terrible" fazem parte do processo natural de crescimento.

Minha mais velha agora está entrando na fase do"Rubicão". Já ouviu falar?!
Dê graças aos DEUSES se ainda está longe pra você...em breve eu venho te contar como é, mas posso adiantar que é um "Terrible Two" aditivado. É uma versão TURBO, com direito a choros sem motivos...irritabilidade matinal...insônia + baixo auto estima, numa espécie de prévia da TPM, só que sem a maturidade necessária!
Enfim...
O que eu tenho feito?(Além das caras feias, ameaças e broncas)é a mesma coisa...tentar conversar, oferecer meu ombro amigo, suporte e aprender novas técnicas de respiração, que aliás, estão me ajudando bastante. E deixar que ela se desenvolva e crie seu próprio mecanismo de defesa. Que se empodere; Que arque com as consequências dos seus atos e principalmente, que aprenda a PENSAR, antes de agir. Nós não podemos controlá-los, o tempo inteiro. E acredito que isso também faça bem para eles. Eles precisam de auto conhecimento!

Então, amiga, se me permite um conselho é este: Aproveite cada fase, com seus terríveis e maravilhosos momentos, com a doçura e acidez da infância. Eu sei que é difícil ,mas o tempo passa...e eles não vão lembrar de como eram nos "terribles" da vida, mas com certeza se lembrarão do seu AMOR e dedicação e que você esteve lá!
Esteja aí. Esteja aí com as tuas broncas merecidas, limites necessários e teu afeto ímpar. Esteja aí para deixar que aprendam com os erros e esteja aí para quando precisarem, mesmo que eles não se deem conta de que estão precisando...pois às vezes um colo tem propriedades calmantes e curadoras, incríveis.
Todo terrible se torna muito mais suave com a nossa mãe por perto...
E isso vale pra vida toda.
;)

Bruna Stamato 

Nenhum comentário:

Postar um comentário