sábado, 28 de janeiro de 2017

Sinto, logo existo - O poder do sentir

• Sinto, Logo Existo – O poder do SENTIR. Se um dia começa ruim, às vezes a culpa não é sua. Mas a culpa será sua, se você insistir em mantê-lo ruim.

Não podemos ignorar a Lei de Murphy, que diz que se uma coisa pode dar errado, ela certamente dará errado, da pior forma possível. Todos nós estamos sujeitos ás leis universais.( Isso inclui a Lei da Atração)
No entanto, se formos “vítimas” de uma situação dessa, a culpa não é nossa, mas se nos mantivermos nessa energia, aí a culpa será nossa, pois sempre é possível modificar as energias. Por que pra nós, humanos, é sempre mais difícil aceitar as bençãos e as dádivas e sempre mais fácil aceitar as desventuras e tristezas? Como se nós fôssemos fadados á viver uma vida de escassez e privações. Sempre escuto as pessoas falando “Já tô acostumado” quando algo ruim acontece e “ Ah, foi sorte!” quando algo bom acontece. A premissa de que “estamos acostumados” é apavorante, pois nos coloca em situação permanente de desvantagem e quando algo bom ocorre é como se então saíssemos da rotina, do “normal”. Quando na verdade, é para ser ao contrário! Devemos nos acostumar com as coisas boas, não querendo subestimar a sorte, mais querendo enaltecer o PODER do pensamento. E acima de tudo, a forma como você se SENTE. Mais importante que ter, de fato, é SER. É sentir-se. Quando nos sentimos fortes, ficamos fortes, nossa saúde fica forte e parece que enfrentamos os problemas com muito mais facilidade. Quando estamos com raiva, parece que dobramos de tamanho, não é? E quando nos sentimos pra baixo, as energias param e todas as áreas de nossas vidas são afetadas. Agora veja, se ondas de rádio, vindas pelo ar, se o WIFI, são capazes de gerar energia e transmitir sinais, imagine o que o pensamento é capaz... Porém, e não “somente”, o pensamento só é capaz de algo se ele nos fizer SENTIR algo. Caso contrário, é só um pensamento, como os espinhos de uma rosa, se não tocarmos eles não nos farão mal algum. Nem todo pensamento vira ação, ainda bem.

 Se o pensamento é a energia; A vontade, é o condutor. Um sem o outro, é apenas desperdício.

Como dizia Eisntein “Só há uma força no mundo mais poderosa do que uma bomba atômica: A vontade.” Não é à toa que dizem que fé move montanhas. Vou dar-lhes um outro exemplo do poder dos pensamentos: Uma pessoa que tenha Síndrome do Pânico. É uma síndrome, uma doença e tem que ser tratada. E um dos tratamentos consiste em afastar o medo do paciente, em convencê-lo de que o medo não é real. Mas o medo é um sentimento legítimo. Tem gente que tem fobia de barata, ok. Fobia é fobia. Mas, tem gente que tem fobia de luz apagada. Por quê? Porque imagina que inúmeras coisas podem acontecer com a luz apagada. Mesmo que não aconteça nada. Ela imagina que fantasmas e monstros aparecerão e o medo é tão real quanto quem tem medo de barata. Independente se o medo é bem fundamentado ou não, se eu sinto, é porque existe. Se algo me causa pavor, mesmo que eu não o esteja vendo ou que não exista materializado, em algum lugar do meu sub-conciente ele está concebido. Essa concepção é relativa e individual. Não é porque não podemos pegar, que deixa-se de existir, desta forma é o vento, que não tocamos mas sentimos, o amor, creio eu, a saudade e por aí vai. Eu sinto. E se eu sinto, é porque existe. Permita-me propor um rápido exercício:
Parece difícil? Deixe-me apresentar agora a minha solução:




































“Mas você saiu do quadrado!”. Aí eu pergunto, que quadrado? O quadrado estava apenas na sua mente. Você esta preso a um paradigma, que dizia para você não sair desse “quadrado” imaginário. Esse exemplo mostra bem o que uma crença limitante pode fazer conosco sem que nem nos demos conta disso.

 “A pior repressão é a interior”. Pense nisso! 

Bruna Stamato

*Este texto é parte do conteúdo da apostila "Sinto, logo existo"

Nenhum comentário:

Postar um comentário