domingo, 8 de janeiro de 2017

E já faz tanto tempo...



Faz tanto tempo que não nos vemos, já era pra eu ter esquecido o seu rosto, mas não esqueço; Me lembro com riqueza os detalhes do seu corpo...por onde as minhas mãos passavam que te deixavam louco, por onde o meu coração se perdia quando as nossas bocas se encontravam.
Não deveria sentir saudades, eu sei, mas mais esquisito ainda seria se eu nada sentisse.
Faz tanto tempo que não escuto a sua voz, então por que será que ela ainda ecoa nitidamente na minha cabeça? Me fazendo levantar num pulo, eu procuro o seu corpo mas a minha cama continua vazia, assim como a minha alma.

Sigo cumprindo minha agenda...todos os meus rituais. Sigo sorrindo nas fotos e conhecendo caras legais; Sigo em conversas super cabeças...todas tão banais. Já começo sabendo aonde vai terminar. Vai terminar aonde eu me começo; Vai terminar porque eu me conheço. Vai terminar quando esbarrar em você, aqui dentro. E....acredite, você é a única coisa que habita esse corpo atualmente. Não da forma que eu gostaria... nunca mais me tocando daquele jeito, ou abrindo seus braços para que eu pudesse dormir, mas você continua aqui, com toda a sua intensidade, mesmo depois de tanto tempo.

E já faz mesmo tanto tempo que eu não sei de você. Teoricamente eu tenho que te esquecer. Teoricamente a vida segue enfrente e muita gente eu ainda hei de conhecer, muitos outros amores eu vou ter...teoricamente já nem era mais pra eu sofrer, é o que todo mundo vem me dizer! Mas literalmente só eu sei como são as minhas noites sem você, tem algumas que parecem durar dias. A tua foto me abraçando e sorrindo que eu ainda não tive coragem de tirar do porta retratos que você me deu de presente...continua no mesmo lugar, mesmo depois de eu já ter me desfeito da nossa cama, da maior parte da mobília, da maior parte de mim mesma.
Já li vários livros de auto ajuda e textos tão lindos sobre superação mas a minha verdade é que eu não aguento mais tudo e todos me dizendo que eu preciso largar mão...largar mão da nossa história? Só porque agora tudo que eu tenho pro futuro são memórias? Se eu largar mão disso, estarei esquecendo de mim também, pois eu só era “eu” quando o “Nós” existia. Depois disso eu sou apenas uma marionete, numa casa sem vida num ser vazio... um ser sem vida numa casa vazia.

Eu luto para não te esquecer, a realidade é essa. É uma briga interna violenta.
Como se essas lembranças da gente pudessem me aquecer, evitando que meu coração se torne um iceberg, sem você.
Perdoa o meu jeito impulsivo! Perdoa meu temperamento explosivo, minha pouca paciência. Perdoa por eu nunca ter conseguido te perdoar como deveria...me perdoa por nunca ter sido quem você gostaria. Perdoa a minha falta de jeito...e o modo como eu fiz as coisas. Perdoa mesmo que você não volte pra mim nunca! A pior revanche você já tem, todo esse meu sofrimento e todo esse amor absurdo que ainda guardo bem a fundo no peito. Você se livrou de mim. Eu, nunca me livrarei de você, nem eu querendo.
A gente nunca sabe o tamanho de uma saudade até se perder alguém. A gente até imagina que vá sentir falta de um lugar, de uma pessoa, mas acha que pode viver sem...ninguém prevê se essa saudade se tornará perpétua ou não.

Há faltas que preenchem todos os espaços vazios de um coração.
Há faltas mais presentes que qualquer presença.
Há silêncios mais barulhentos e perturbadores que qualquer sinfonia.
Hoje é assim que me vejo: Uma louca sinfonia ensurdecedora das batidas de um coração sufocado ecoando pela casa e que segue bombeando VOCÊ na minha corrente sanguínea; Uma barulhenta sinfonia de uma boca muda mas com uma alma rouca de tanto chamar o seu nome; De olhos secos por fora mas inundados por dentro, de um ser numa aparente tranquilidade escondendo seu tormento, de uma paixão doentia!

É...mas já faz  tanto tempo...eu não deveria estar mais sequer pensando sobre esse assunto... Mas o que eu posso fazer se o meu “eu” hoje insiste em manter o seu “eu” de ontem vivo, como se isso fosse o único elo entre o que eu sou agora e o que eu adorava ser quando estávamos juntos. Como se saber que você ainda existe dentro de mim fosse capaz de me dar algum alívio de toda a loucura desse mundo...
Faz tanto, tanto tempo, e eu ainda tento materializar o seu sorriso, bem mais do que eu gostaria.

Pois é, já faz tanto tempo e eu já perdi as esperanças de te perder um dia.    


   Bruna Stamato

Nenhum comentário:

Postar um comentário