Será que você ainda pensa em mim quando escuta uma música? 
Será que você sente uma gota de remorso ao chegar em casa no fim de mais um dia, abrir a porta e ouvir agora apenas o silêncio a te esperar...?
Será?

Será que você já esqueceu de todas as promessas que me fez, incluindo a de nunca ir embora e de todos os lindos planos que por tanto tempo lutamos para conseguir viver?
Quem diria né...que anos depois daquele primeiro beijo, eu estaria aqui sozinha, porque em algum momento da vida você decidira nos deixar...
Quem diria que o casal preferido dos amigos um dia não passaria de uma mágoa e de alguém que a gente tenta evitar.
Quem diria que um dia eu estaria aqui nessa cidade, sentada na calçada onde costumávamos nos encontrar
Olhando fixamente para a janela do teu quarto, tentanto te exorcizar
Bebendo sozinha até altas da madrugada, ainda carregando no peito essa sensação de que não resta mais nada
Rezando para um outro alguém chegar
Alguém que consiga preencher todo esse infinito vazio que você me causou
Eu sei que não dá
Meu coração tem absoluta certeza de que nunca mais na vida terá outro alguém
A verdade é essa, eu precisava confessar

Quem diria que um dia, que parece ter passado num piscado de olhos, as crianças teriam crescido tanto, nossas fotos no álbum amarelado tanto e que não teríamos sido um para o outro, nada de tudo que podíamos ser.
Quem diria que um dia nessa vida, eu teria me acostumado a viver sem você...

Quem diria que eu também abandonaria uma parte de mim ao partir...
Me tornando uma sombra do que fomos; esgueirando para nos espiar, nos desfiladeiros da minha memória
Ainda querendo contar a nossa história
Com aquele nó na gargante de quem não disse tudo que tinha pra dizer
Com o olhar tão triste, tão característico de quem perdeu o grande amor e continua sabendo exatamente onde o encontrar
Quem diria, que tantos anos teriam se passado, que tanta coisa teria mudado, que tantas voltas teríamos dado, que tanto tempo teríamos disperdiçado, até percebemos para onde gostaríamos de voltar

Tão dolorido para deixar ir e difícil demais para se ficar.


Bruna Stamato