domingo, 8 de janeiro de 2017

Só mais um texto sobre saudade...


É... é só mais um texto sobre saudade, nem precisa parar pra ler, é sobre essa coisa que me invade e inunda todo o meu ser. E eu preciso escrever pra ver se assim ela me deixa.
É verdade, eu continuo falando sobre você. Eu sempre arrumo essa brecha...mas o que eu posso fazer se meu coração por alguma razão, não te esquece?
Eu já falei pra ele que você não nos merece...mas ele insiste em te amar e guardar o teu lugar aqui dentro, em te fazer presente a todo momento...você ocupa os 100%, não sobra espaço pra mais ninguém, nenhum desses rostos bonitos que eu insisto em beijar, só pra convencer o meu coração que é possível amar outra pessoa e deixar você apenas como uma recordação muito boa, pra gente lembrar antes de dormir. Mas quando ela chega com tudo, vem avassaladora, meu coração se apavora e na hora te entrega te bandeja, a saudade então te abraça por completo, fazendo assim com que meu coração volte a doer, agora repleto de você, eu sigo na peleja...já apelei pra macumba, patuá e acendi vela na igreja. Pergunto pra ele constantemente, qual a razão de perpetuar algo que não pode existir? Se não pode ser, não seja! Não seja amor dentro de mim. Não seja esperança. Não seja mais voz. Não seja lembrança. Seja apenas passado. Faça passar essa dor.

Suplico á todos os santos que me deem um descanso, um alívio qualquer! Para que pelo menos eu possa dormir uma noite toda sem esse elevador no esôfago, com um sobe e desce muito louco, será que vai ser pra sempre assim? No meio da noite eu começo a me revirar e olho pra pessoa ao meu lado e penso “Que inferno”, não é você que está lá. No meio do tesão a minha cabeça esfria, começa a comparar os olhos, o teu sorriso e claro, qualquer ser humano vai perder se comparado à essa imagem perfeita que criamos de você. Me apego então aos inúmeros motivos que tive pra te deixar e agora, passado tanto tempo, parecem todos tão banais...como pode, eu estava tão certa. Se te disser que mal me lembro, você acredita?

Muito dissemos quando o que precisávamos era nada dizer. Agora cada um está pra um lado e nossos amigos ainda insistem em me perguntar sobre você! Eu digo que não tenho nem sequer notícias, que você entregou nosso antigo apartamento e eu não sei pra onde foi, realmente, não sei aonde foi parar todo aquele amor imenso... Esse é só mais um texto sobre saudade. Na verdade, é mais um desabafo meu. É o desabafo de alguém que nunca te esqueceu. Que não deixou de pensar em você em um único segundo, que ainda faz da sua coletânea preferida trilha sonora de vida, que ainda vê o teu fantasma pela casa... que ainda fala sozinho na esperança que você escute. Se você me pudesse ouvir, toda a súplica do meu coração em pedaços, todo o meu choro descontrolado, você apostaria mais uma ficha em nós? Eu achei que nosso amor era um cabo de aço. Inquebrável. Indissolúvel. Hoje eu vejo que era um cristal super frágil que trincou por inteiro.

É...é só mais um texto sobre saudade...porque eu já não sei o que fazer com ela, virou minha escudeira fiel, minha hóspede eterna...e dela me tornei prisioneiro.
É só mais um texto sobre saudade e toda essa bobagem que chamam de amor.
Só mais umas linhas doídas de saudade e de alguém sofrendo porque alguém o deixou...
Só mais um texto sobre essa coisa que tanto me causa dor!
Só mais um ridículo texto sobre saudade, que eu nem sabia o que era até te perder.
Não liga não, a saudade derruba mas hoje eu sei me reerguer.
Só mais um texto sobre saudade, sobre toda essa infantilidade que eu insisto em guardar no meu cerne...só mais um texto sobre tudo que poderia ter sido, se você não tivesse ido...se você não tivesse me deixado insano á própria sorte, condenado a convalescer.


Nem liga...é só mais um texto banal sobre essa tola saudade, como tantos outros textos apaixonados e inconsoláveis que eu já escrevi pra você.

Bruna Stamato

Nenhum comentário:

Postar um comentário