terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Antes de trocar de esposa, troque seus hábitos!



Eu ainda fico impressionada com a capacidade dos homens, de ALGUNS deles,  (não quero generalizar) de conseguirem simplesmente transferir “sentimentos”.
Ou, parando para pensar agora, a capacidade de NÃO sentir? Dúvida...

Estou cansada de ver “homens” (entre aspas pois, acredito mesmo que exista uma pequena porcentagem masculina que honra as calças que veste, que faz jus a palavra “Homem”, então prefiro colocar todo o resto entre aspas para ficar bem explicado), estou farta de ver esses moleques que sofrem da Síndrome de Peter Pan e se recusam a crescer, simplesmente TROCANDO de relacionamento, como quem troca de carro, aliás, minto, porque conheço cara mais apegado ao carro do que à família inteira.
 Trocando de namorada, de esposa, de casa. Trocando a FAMÍLIA, abandonando seus lares, mulher e filhos pra trás, como se não tivessem nunca significado absolutamente nada. Aí eu pergunto: 

Casou PRA QUE?

Tá certo que relacionamentos acabam, se desgastam com o tempo. O amor também acaba. Mas pera lá...CARÁTER não desgasta com uso. 
Hombridade, integridade e princípios morais não esgotam com o tempo. 
Num relacionamento tem que haver um troço chamado LEALDADE. Não é fidelidade. Fidelidade é questão de escolha, lealdade não; Ou se é leal ou não, se nasce assim. Não dá pra forçar. E sinceramente, acho que é a base que falta na maioria dos relacionamentos.
Ninguém está te obrigando a ficar casado cara. Mas, termine com dignidade. Seja LEAL, se lembre de tudo que você a sua companheira passaram até aqui.

Achou uma mais bonitinha e novinha? Toma cuidado...porque a tua mulher também era bonitinha e bem cuidada quando você a conheceu...agora você diz que ela está “desleixada”, que ela não quer mais ter relações com você... coitadinho!
Não tente culpa-la, amigo, nem muito menos se vitimar.
Vou te contar um segredo: Nós, mulheres, não sentimos tesão físico visual como vocês, machos. Nosso tesão começa na CABEÇA.

Não é uma pegada no traseiro (O Google não me permite usar a palavra que eu gostaria aqui, então relevem)...é numa pegada de vida! Não é num olhar pro decote; É olhar pra ALMA.
Se a tua mulher não queria mais se deitar contigo, sinto dizer, mas a culpa é SUA, que não soube estimular da forma correta.
Tesão não nasce em árvore, não tem um botão de liga e desliga, parceiro! VOCÊ não teve a pegada, com certeza absoluta tu não supria as necessidades dela. Não tô falando do tamanho do seu pênis não, por favor, não se apavore...
Estou falando das necessidades de parceria, de companheirismo.

O cara não ajuda em casa, não ajuda com as crianças, faz questão de estar ausente, não manda 1 mensagem sequer...não faz 1 elogio, daí chega de noite e quer que a mulher esteja empolgadíssima, cheia de amor pra dar?
Quantas vezes você ficou com as crianças para que ela dormisse até mais tarde? 
Quantas vezes a tua mulher conseguiu entrar no banho tranquila e sem pressa porque deixou o bebê com você e teve a certeza que você se esforçaria ao máximo para faze-lo parar de chorar e não fosse bater correndo na porta, pedindo que ela se apressasse pois o bebê “quer a mãe”?!

Fala aí...quantas vezes você disse “Amor, seu cabelo era mais bonito solto e com aquela outra cor que você usava, não quer ir ao salão fazer algo? Toma aqui meu cartão.”

Quantas vezes você, MARIDÃO, sentou e a escutou, sem pedras na mão, sem respostas pré formuladas, simplesmente ouviu as queixas da sua companheira e tentou compreender, mesmo sem concordar 100%? Qual foi a última vez na vida que você foi, verdadeira, complacente com ela?

É realmente mais fácil sair por aí reclamando dela. Sair por aí dizendo que o casamento arruinou tudo.
Eu acredito em você, que ela realmente deva ter ficado muito chata, sem senso de humor...que aquele pique dela pra te acompanhar como antes, acabou. Que hoje ela viva cansada e mal cuidada, e que você, continua vivo, ora bolas! Você se cuida poxa vida...você se preocupa com a aparência, você trabalha fora, esta sempre em contato com as pessoas, e de repente, não tem mais assunto com a sua esposa...é só reclamação. Ela reclama de tudo! Acertei?!
E agora me diga, quais medidas efetivas você toma a respeito?
.............


Claro, você já tomou.
Arrumou outra.  Uma mais atraente fisicamente, talvez. Que tenha disponibilidade integral, para te satisfazer. Que não reclame da pilha de roupas acumuladas pra passar. Que não “nega fogo”. Que não precisa ficar mendigando sua atenção e te ligando 5 vezes por dia pra te lembrar de passar no supermercado porque acabou a carne, que por sinal, VOCÊ gosta de jantar.
Você está certo!
É mais fácil arrumar outra e começar do 0, do que dar o braço a torcer e quem sabe, rever seus conceitos. Do que prestar assistência pra mulher que esteve ao seu lado sempre. É mais fácil jogar a culpa toda na mulher, do que admitir suas falhas. Do que tentar reconquistá-la, porque, afinal, ela te conhece bem. Então você prefere uma desconhecida, pois assim, pode fingir ser tudo aquilo que não é. É mais fácil arrumar outra do que levar a tua esposa pra jantar num lugar bacana, do que incentivá-la a entrar no spinning, ou naquele curso de fotografia que ela sempre quis. Porque desse jeito ela não poderá te servir,da forma como você está acostumado.
É mais fácil continuar fingindo que ela é um obejto da casa, sem vontade própria, e que "RECLAMA DE BARRIGA CHEIA".
 A mulher que te deu os seus filhos... que aliás, sempre foram mais apegados com a mãe mesmo e é a mãe que tem que cuidar, então você fica relaxado em sair de casa e pagar pensão, você vai dar tudo que eles precisarem. Financeiramente... porque a tua pensão não compra amor. Não vende atenção e carinho no mercado, paizão.

Você vai encontrar respaldo. Porque ainda vivemos numa sociedade machista e retrógada. Afinal, a culpa é dela!
Quem mandou ela não ter os seios de silicone? 
Quem mandou, ela largar mão do emprego e priorizar a família? Ou, no caso oposto, que aposto que você também reclama, quem mandou ela trabalhar tanto e não ter disposição para muita coisa? Quem mandou ela ficar tão chata?!

Antes de trocá-la, aconselho rever seus hábitos, meu caro.

Porque ela...ela bem provavelmente vai superar a separação, porque afinal, se pararmos pra pensar, ela já vivia sozinha, na prática, você era marido teórico. Você vai achar que ela está sozinha porque ninguém mais a quer...mas não se deixe iludir por uma mulher... Ela vai ficar um tempo sozinha, limpando o coração de quaisquer vestígios da sua existência, e porque ela se vira bem, ela sobrevive sozinha. Ela quer escolher muito bem suas companhias, daqui pra frente.
Os quilinhos extras ela vai perder, porque provavelmente os amigos e parentes vão ajuda-la, e ela vai voltar a ver que existe vida (boa!) pós divórcio. Sem você para perturbar, ela não vai precisar gastar tanto tempo cozinhando, nem administrando sua bagunça, nem vivendo por você, então vai sobrar-lhe TEMPO.  É bem provável também que ela precise sair da zona de conforto e meter as caras, arregaçar as mangas e se recomeçar, mas acredite, nós, mulheres, somos especialistas nessa arte. Ela vai conhecer gente interessante...
Já você...você vai precisar de alguém pra arrumar teu jantar, pra organizar sua agenda, pra ir ás reuniões da empresa, e nos eventos com os amigos...você vai precisar de alguém que ateste a sua virilidade. Que te faça acreditar que você é O garanhão e que está por cima da carne seca.
Aí...é aí que mora o X da questão.
Essa tua mina nova e bonitona, inevitavelmente, vai ficar cansada...com todos os afazeres e a rotina atribulada, porque você e eu sabemos que não dá mais pra encarar noitadas 4 vezes por semana...malhação de segunda á segunda, Happy Hour com os amigos e viagens todo fim de semana. A tua gatinha então, começará a ficar sem tempo, esgotada. Tadinha...você vai começar a perder o interesse. Afinal, meu bem, o mundo está cheio de gatinhas!

E lá vai você outra vez, botar a culpa nela, dizer que mulher é tudo igual, e mais uma vez, podre coitado, trocará de galho, com a maior facilidade do mundo.

Mas, chegará uma hora, que as gatinhas também vão querer gatinhos, e nessa hora, você vai desejar com todas as suas forças, ter alguém te esperando em casa.

Talvez tenham se passado 20 anos, até que você então perceba, que o grande problema, não era, de fato, com elas.
E talvez, você não perceba isso nunca.

Mas, se puder perceber isso agora, neste exato momento, antes que a falta lhe corroa o coração, vai lá, olha pra tua mulher e lembra de todos os motivos pelos quais você fez dela a sua mulher e pense que da mesma forma, você também pode estar desinteressante pra ela, também pode haver um outro alguém, mas, que mesmo assim, ela continua do teu lado.

Porque o amor, também é uma questão de escolha.



  Bruna Stamato

Nenhum comentário:

Postar um comentário