segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Sou sua mulher, não pertenço á você

Sou sua somente porque quero ser. Porque te escolhi para amar, e é, justamente por causa desse amor, que eu te cuido. Que eu zelo pelo nosso lar. Que eu faço tudo o que posso para manter nosso relacionamento bem. Acontece, meu bem, que um relacionamento é composto por duas pessoas, se uma delas NÃO estiver tão disposta quanto a outra, não tem amor que dê jeito! AMOR não se impõe, não se exige. Amor é amor, não obrigação. É cumplicidade acima de qualquer coisa. É amizade e respeito. Do contrário, é mero tesão. E por falar nisso, não me faça perder o tesão...o tesão de vida contigo. Porque amor, também cansa. E o meu, anda cansado. Você pensa que libido brota em árvore ou vende no mercado? A gente não tem um botão! Não dá pra ligar e desligar ao seu bel prazer...se quiser sexo bom, vai ter que fazer por merecer. E nem tô aqui falando de músculos, ou da sua performance habitual...o que dá muito tesão numa mulher, é um homem QUE SABE O QUE QUER. E sabe exatamente como vai fazer, para conseguir. Mais do que saber onde colocar a sua mão, você precisa saber ao certo pra onde quer ir. Você precisa ASSUMIR. Assumir a sua posição. E não me refiro se é por cima ou por baixo, me refiro à nossa vida em questão. Conheço várias mulheres que resistem à uma boa pegada, que não se entregam ao primeiro beijo bom, mas desconheço alguma que tenha resistido à um convite para caminharem juntos, mão com mão. É aí que fica ponto G. Levar um corpo ao nirvana, qualquer um consegue fazer. Difícil é levar a alma; É fazer a mente toda estremecer. Eu entendo que você quase não tenha tempo pra nada, que nosso orçamento esteja um tanto limitado, e que a gente não tem conseguido tanto tempo junto quanto gostaríamos, mas...por favor, entenda também o meu lado. Antes de ser sua esposa e companheira, eu sou um ser individual. Eu tenho meus anseios. Meus receios. Meus projetos. Eu também tenho vontades! Mas, eu tenho que organizar as prioridades. E você, por enquanto, ainda é uma delas. Se alegre por isso. Se alegre todas as vezes que eu te ligo, pra saber aonde e com quem você está. Se alegre quando eu ainda sinto ciúmes de você. Se alegre enquanto eu cobrar tua presença, porque na hora que eu deixar de falar...é porque eu deixei de me importar. E aí... Aí não vai adiantar teu pedido tardio de desculpas. Não vai adiantar me levar pra jantar. De nada vai resolver um presente comum comprado às pressas. Não são os teus presentes que, de fato, me interessam. Ás vezes, palavras não são suficientes. Mulher gosta de gestos. De carinho, de INTERESSE. A gente sabe que datas comemorativas são puramente comerciais, mas nos sentimos queridas quando ganhamos um presente de Dia das Mães, de aniversário de casamento...não pelo presente em si, mas pelo GESTO. Pela lembrança e reconhecimento. Eu não vou embora porque ainda não quero ir. Porque uma parte de mim ainda acredita num “nós”. Porque eu não quero desistir. Mas sinto que você já desistiu, todas as vezes que me troca por um futebol...todas as vezes que banaliza meu cansaço, que ri da minha tristeza. Querido, entenda, homens para pagar um aluguel e uma prestação de carro, são até fáceis de encontrar, mas, homens para dividir a jornada, para dar um ombro amigo e respaldo de vida...são raríssimos. Não é ameaça meu bem. É só mais um dos meus pedidos de ajuda. Quando eu quiser realmente ir embora, nada vai me segurar, e eu te garanto, que já não perderei mais meu tempo em tentar te mostrar isso. Eu sou sua mulher, não sou sua propriedade. Não pertenço á você. Eu tinha uma vida antes da gente se casar, e posso perfeitamente voltar a ter. Eu não sou um objeto inanimado de decoração da sua casa, por sinal, arrumada por mim mesma... Eu não PRECISO fazer comida fresca pra você todo dia. Quando eu faço, é porque eu gosto de te ver bem e te fazer feliz! Não espere me perder, para então perceber, que eu lhe faço falta. Eu não preciso arrumar tua bagunça, não sou tua mãe. Eu não preciso acordar mais cedo pra arrumar seu café...Eu realmente não preciso me preocupar com a sua saúde nem pegar no seu pé. Eu não PRECISO te lembrar dos seus compromissos, pois tampouco sou sua secretária... Eu não preciso te dar satisfações de todos os meus passos, pois também não sou GPS! Eu não preciso me conformar com as tuas presentes ausências. Eu não preciso viver no teu silêncio. Eu não dependo de migalhas da sua atenção. Tudo que eu faço é com a maior boa vontade, para um bom funcionamento desta relação. Que tal valorizar o que você já tem na mão? Claro que você vai encontrar mulheres mais interessantes do que eu, assim que pisar fora do portão, mas AMOR como o que eu tenho...fora de cogitação. Casamento tem que ser FELIZ, uma via de mão dupla. Já foi-se a época da escravidão... Aproveita enquanto você ainda está valendo minhas palavras. Porque Mulheres como eu, sinto informar, são espécie em extinção. Bruna Stamato

Nenhum comentário:

Postar um comentário