terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Por mais otários no mundo

Você alguma vez já se perguntou o “Por quê” das pessoas parecerem nunca retribuir o que você faz de bom pra elas? Já se sentiu um bobo no meio de um monte de espertos? Já achou que amar não vale mais a pena? Já se viu sendo amigo sozinho? Já sentiu que amou sozinho? Que confiou demais? Quantas vezes você jurou pra si mesmo que iria mudar de vez, que iria deixar de confiar tanto nas pessoas, que iria aprender a ser “esperto”? Só gostar de quem gosta de você e esquecer os ingratos? Como se fosse algo fácil...Acredite, você não está sozinho! Sou acometida por estes sentimentos dia sim, dia não. Inclusive neste exato momento, enquanto escrevo esse texto e compartilho com vocês a minha reflexão. Já jurei e tentei mudar um monte de vezes...tentei incorporar lemas como “Pego mas não me apego”; “Tomando que a gente aprende”; “O mundo é dos espertos”. E até concordo em partes com todos eles. Mas se o mundo é dos espertos, o olimpo é dos “otários”. Porque se ser OTÁRIO é fazer o bem e muitas vezes não receber o mesmo de volta, então eu realmente sou otária! Porque fazer o bem e ajudar, ainda são excelentes formas de me alegrar! Se ser otário é confiar...então eu prefiro continuar otária a perder a minha FÉ na humanidade. Já acreditei exageradamente em algumas pessoas que não devia, é verdade...mas isso não me fez sentir-me OTÁRIA, me fez sentir pena de quem é mau caráter pois não deixará, nem levará consigo nada de bom desta vida. Se ser otário é amar e ADMITIR que ama, então eu mereço um troféu: O ser mais otário que desceu do céu! E que DEUS, me preserve OTÁRIA pra sempre porque eu ainda não senti alegria maior nessa encarnação do que amar e ser amado na mesma proporção! Não há dinheiro que pague!- Disse o otário. Se se doar demais é defeito, então eu preciso arrancar isso do peito, porque me entregar por completo e mergulhar de cabeça faz parte do meu ser, da minha essência, eu não consigo ser de outro jeito! Acredito que tomando a gente aprende mesmo, fica mais esperto, mas eu não pretendo deixar de ajudar alguém todas as vezes que meu coração mandar, porque eu ainda prefiro agradar à ele, do que à uma sociedade hipócrita, com medo de atestado de otária passar... Hoje em dia eu só faço o que acho certo, mesmo sabendo quem é quem, eu prefiro fazer o bem e a minha alma iluminar do que ficar me remoendo por dentro, repetindo que foi o correto e deixar a minha consciência pesar. Se ser bom demais é um crime, então nada me exime desta culpa carregar. Sem falsa modéstia eu penso que achar gente como eu hoje em dia tá difícil, me sinto ilhada, cercada de espertos, loucos pra me devorar...então se ser otário é raro, é aqui mesmo nessa ilha que eu vou ficar. Quem sabe não aparece mais um e outro pra me fazer companhia...quem dera povoar o mundo de otários! Dessa gente que chora sem vergonha, que ri de si mesmo, que se ajoelha pra rezar. De gente que ainda acredita que amar vale a pena, que amizades são sinceras e que a melhor escolha ainda é ajudar. Gente que olha pro céu e agradece... Gente que se lembra que somos todos HUMANOS, não importa cor, raça ou religião. Gente que não esquece, que cultiva a gratidão. Que orgulho dos otários! Pelos menos temos um CORAÇÃO! E Deus tá vendo tudo, ninguém sai impune desse mundo! Otários têm GreenCard para o paraíso! Confiar demais tá errado? Eu acho que o erro é de quem é pouco confiável. #pormaisotariosnomundo

2 comentários:

  1. Vi meus pensamentos nesse texto,medo de ser boba ja tive muito ,hoje sou consciente fe meus princípios que devo fidelidade a mim inndependente fo outro,não espero retorno somente a leveza de minha cabeça no travesseiro.o certo sempre sera certo mesmo o mundo dizendo ao contrario.recompensa essa não desejo ,so quero poder me encarar no espelho e dizer fiz o que meu coração pediu.

    ResponderExcluir
  2. É isso aí Ana!! Desta forma que eu penso!!! Arrependimentos nós teremos mas por termos feito DEMAIS! E jamais por termos deixado de fazer!!! :) Obrigada pelo seu comentário! Um beijos!

    ResponderExcluir