terça-feira, 23 de outubro de 2018

O pombo e o canário




Certa vez estava eu, passando em frente a um petshop.
Na calçada estavam algumas gaiolas, com lindos canários dentro. Eu os acho lindos, de verdade e exatamente por isso nunca quis ter um. Eles têm asas, oras! A Natureza deles é voar, não ficarem presos para satisfazer a vaidade humana.
Bem perto das gaiolas, haviam alguns pombos. Provavelmente catando migalhas e farelos das rações servidas aos canários.
As pessoas paravam para admirar os canários, não os pombos.
Mas eu, me coloquei a observar os pombos.

"Será que os canários têm inveja deles, dos pombos?" Perguntei à minha filha, de 11 anos, que me acompanhava.
"Mãe, são os pombos que devem ter inveja dos canários né?! Eles são lindos, cantam e têm ração, não precisam ficar passando fome catando farelo".
Pensei durante um tempo na sua resposta, mas só me ocorria o quesito LIBERDADE e então, respondi: "Mas filha, do que adianta ser lindo, cantar, ter comida garantida, mas ser infeliz? Não poder viver, ver a vida. Ter que frear a própria natureza. Nascer em cativeiro sem ao menos saber que pode voar...É muito triste."
"Mas todo mundo gosta de canário, mãe. Nem todo mundo gosta de pombo." Ela insistiu.
"Mas eles me parecem felizes assim. Eles vivem em bando e não precisam ser os mais lindos, para serem escolhidos por alguém que fará deles prisioneiros."
Ela então, concordou.
A beleza e a busca pela perfeição, às vezes nos aprisionam. Às vezes somos vítimas desse dito "amor", que não nos permite voar e ver o mundo, que só quer nos aprisionar para satisfazer as suas carências e vaidade.
E pior ainda, certas vezes, nós nos colocamos na gaiola e nos acomodamos ali; desistimos de voar e conhecer o mundo, negamos nossas natureza e instintos; contemos nossos ímpetos, para termos comida garantida.
Atenção garantida. Para sermos admirados.
Mas a verdade, é que nada nessa vida é garantido. E que esse nosso medo do incerto pode trancar nossa gaiola.

Às vezes, para ganharmos o mundo, precisamos perder a comida garantida. Precisamos abrir mão do "conforto", do conhecido, das convenções.
"Filha, aposto que se abrissem a gaiola nem todos os canários sairiam, pois eles nasceram em gaiolas, o mundo não existe para eles, eles não sabem como é maravilhoso poder voar! Mas, os pombos, talvez pela necessidade e pela fome, entrassem na gaiola. Poderiam passar um tempo e nos primeiros dias pensar "Uau, que vida boa! Não preciso mais catar migalhas no chão! 3 vezes por dia me servem ração", porém, com o passar do tempo, eles se dariam conta de que a ração não vale mais que a liberdade.
Um ser LIVRE não se deixa trancar. Porque ele sabe que a liberdade, de tão valiosa, não tem preço. Por ração nenhuma nesse mundo!"
Minha filha riu e me disse "Tá bom mãe, já entendi. Você prefere ser um pombo, né?!"
"É filha! Eu prefiro ser um pombo!" *risos*

E você?
És um pombo ou um canário?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

Pesquisar este blog

Receba por e-mail