segunda-feira, 6 de março de 2017

Você também pode - Condicionamento mental e minha estratégia para emagrecer



O que ainda ser magro e não sentir-se magro? Ser lindo e não sentir-se lindo?

Ter dinheiro e não sentir-se verdadeiramente rico?

Ser FORTE e não se sentir forte.


Vou te dar exemplos comuns do poder do Sentir: Aposto que você conhece, pelo menos 1 pessoa, que tem “mania” de doença. Aquela pessoa que vive se queixando...vive tomando remédio e parece que gosta de doença. Passa anos procurando uma doença séria até que um certo dia, acha. “Uau que coincidência!”. Não é coincidência, a força do pensamento criou uma doença e vou além, nossos pensamentos criam a maior parte das nossas doenças. Se tomarmos uma chuvinha pensando “Meu Deus e agora? Vou pegar uma gripe!”, a chance de você realmente desenvolver uma gripe é 10  vezes maior do que quem toma chuva pensando “Ah, essa chuva não é de nada...minha saúde é 100%!”.


Meu pai foi um belíssimo exemplo disso. Nunca vi meu pai doente. Certa vez eu conversei sobre isso com ele, disse “Pai, como pode? Eu vivo em pronto socorro, desde que mudei pra SP. Desenvolvi alergias, tenho palpitações, vivo com enxaqueca e nunca vi você doente!” e ele disse “Doença? O que é isso?!!”, ele dizia que não tinha tempo de pensar em doença.


Outro exemplo que eu vivencio muito e sempre é motivo de discussão e risadas com as minhas amigas é COMER E ENGORDAR.  O mais comum é, quando vamos comer, pensarmos em quantas calorias têm a refeição e tentarmos controlar um pouco, principalmente entre as mulheres! Esse hábito gera uma espécie de bloqueio, você emite uma mensagem negativa para o cérebro, que passa então a associar o ato de comer com sofrimento, pois você fica tensa, com sensação de culpa e pensando “vou engordar!”. O que acontece, como sempre falo, é que o cérebro também pode ser exercitado, assim como qualquer músculo do corpo, que reage ao esforço repetitivo, as nossas conexões neurais também são assim. Experimente malhar o braço esquerdo, intensamente, por 3 meses e compare-o com o direito, é óbvio que vai estar mais definido e condicionado do que o que não sofreu esforço por repetição. Desta forma funciona o cérebro com sua mente inconsciente, ou seja, aquela partezinha que grava nossas experiências, sem que precisemos dar ordem e que consulta essa galeria mental toda vez que vamos repetir tal experiência. Se a experiência foi boa, a mente inconsciente dá ordem e nosso organismos libera as endorfinas e a serotonina, se a experiência for negativa, ela libera enzimas de stress e adrenalina em excesso.

Desta forma também se criam os vícios e por isso, sou adepta da teoria de que é possível substituir vícios negativos por vícios saudáveis, mas falaremos disso em um outro post!


Continuando, quando você fica tensa com medo de engordar, seu organismo libera enzimas negativas, que prejudicam sua digestão, o bom funcionamento do intestino, que aliás é nele que a maior parte de serotonina é produzida no nosso corpo, e isso prejudica muito a perda de peso. Além do fator indispensável, da força do pensamento. “Eu vou engordar!”, é uma ordem ao cérebro, então, mesmo que você passe a comer exclusivamente saladas, você vai continuar engordando. Pois condicionou a sua mente inconsciente a isso. Esse fato explica porque muita gente volta a engordar mesmo depois de uma cirurgia de redução do estômago, mesmo depois de uma lipoaspiração, mesmo fazendo dietas rigorosas. Porque é preciso treinar A MENTE, minha gente! Não só os músculos.

É preciso SENTIR.


Eu nunca tive excesso de peso, sempre fui uma pessoa magra, daquelas “magras de ruim”, que comem e não engordam, e isso me prejudicou por um lado, pois tenho colesterol alto hereditário e precisei de uma reeducação alimentar para entrar nos eixos. Mas peso extra, nunca tive. E sempre falei isso para as minhas amigas, desde a adolescência.  Eu falava “coma sem culpa! Seja feliz! Calorias se perde!” e sempre pensei, mesmo antes de estudar sobre o assunto, “Eu vou comer isso, mas eu vou fazer tanta coisa ao longo do dia, que vou gastar duas vezes mais calorias.” E comer nunca foi um fardo, eu tenho muita alegria em comer, não só prazer, mas alegria e gratidão por poder comer todo tipo de alimento. 
Quando fui crescendo, fui pensando “Minha genética é ótima, eu realmente não engordo!” e até hoje, que já passei dos 30, penso dessa forma. Não sei até que ponto é verdade, mas sei que continuo com o meu peso da vida toda. Não fico martelando na cabeça “A idade tá chegando, vai cair tudo e eu vou ficar flácida!”. NUNCA! Tento sempre ser positiva em relação a isso *risos*. 
Nunca me concentrei nas calorias de uma sobremesa deliciosa e sim, em como aquela sobremesa faria meu corpo feliz! Durante minhas atividades físicas e na época que eu fazia academia regularmente, ao contrário das minhas amigas eu pensava “Como é fácil perder peso!” porque, de fato, acreditava nisso. Enquanto elas pensavam “Como é sofrido perder peso, eu não gosto de academia, isso é uma tortura pra mim”.  
 Você pode contratar o melhor personal do mercado, se a mudança não for de dentro para fora, a mudança de fora para dentro não durará muito tempo.
 Você tem que incorporar a ideia e desenvolver real PRAZER ao seu novo estilo de vida. Você tem que reprogramar o seu cérebro e ACREDITAR (como sempre!) que você pode, que é um processo fácil e que a época de ganhar peso ficou para trás, porque agora você sabe como funciona o seu mecanismo da mente inconsciente!

Quando você começar a mudar, você passará a se SENTIR mais leve, mais magra e aí não resta outra opção a não ser o seu corpo e o Universo, se adaptarem à sua nova realidade. É assim que funciona, por isso que tanta gente fala por aí que o mundo começa a existir primeiro dentro de nós, e que o que vemos é apenas a exteriorização.


VOCÊ PODE passar no vestibular. NÃO é difícil. As pessoas te falam que passar em primeiro lugar em medicina na USP é *praticamente* impossível, mas o SEU cérebro não conhece essa palavra “Impossível”. Pode ser difícil para elas, mas não mais para você, que agora está ganhando inteligência emocional e treinando a sua mente consciente e inconsciente.

Vou dar-lhes uma grande dica, que eu uso muito, pratico diariamente, e me é um bom exercício tanto para ansiedade quando para felicidade.

Pegue o seu celular e grave a si mesmo falando. Fale com a sua mente inconsciente.


Eu por exemplo falo repetidamente “Eu sou uma pessoa de sucesso. Eu tenho uma mente brilhante.” Depois eu continuo “Eu tenho uma mente aberta. Eu tenho uma mente aberta” e sigo com “Obrigada pelo dia de hoje, os problemas de hoje já passaram, eu os enfrentei, os problemas de amanhã não chegaram, por tanto, não existem. Os problemas de amanhã, não existem.” E coloco no fone de ouvido e me deito para escutar.

Além disso, eu tenho alguns áudios baixados de meditação guiada que me ajudam a relaxar e a abrir a mente, pois meu trabalho é esse, preciso ter uma mente aberta para incorporar novos conceitos, novas crenças, e me permito mudar de ideia quantas vezes for necessário, pois eu realmente prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter àquela velha opinião formada sobre tudo.

Um dos áudios que mais gosto é do escritor e coach, Paul McKenna, ele tem uma metodologia de auto hipnose com projeção futura que me faz vibrar!

Fica a dica!

                                 Pense.Acredite.Sinta.Confie.

Essa é a ordem para começar a promover as mudanças que tanto almejamos!



Conteúdo retirado da apostila  “Sinto, Logo Existo – O Poder do Sentir” por Bruna Stamato

Nenhum comentário:

Postar um comentário