segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Apegue-se!!!

Apegue-se Por favor, não entre na moda, desta vez. Num mundo que passou a pregar o desapego como forma de vida, com uma geração que exibe suas conquistas sem ter de fato, conquistado ninguém, onde levantam seus troféus quem consegue ficar com o maior número de pessoas e manter-se sozinho... uma geração que fala com 12 pessoas ao mesmo tempo, mas não é capaz de desenvolver um diálogo cara-a-cara por mais de 15 minutos...pessoas que acham demais saírem com 4 na mesma semana, mas que não têm uma sequer para ligar quando uma gripe bate, numa noite chuvosa em estado febril... Eu não consigo mesmo entender! Quem enaltece o desapego, fingindo não se importar, porque como já bem dizia Vinícius “Fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho...” e antes que você me venha com teu discurso decorado, que temos que aprender a sermos felizes sozinhos, que amor próprio é tudo, que o legal é pegar sem apegar, eu te digo, que não nascemos pra isso...*risos! Concordo plenamente que todo ser humano precisa empoderar-se de si! E que a gente só conhece a verdadeira felicidade quando consegue ser feliz por si próprio, se bastar. Mas, depois que aprendemos estas lições e não passamos a DEPENDER de ninguém, nos apegar se torna algo delicioso. Apegar-se não é tornar-se dependente. Hoje em dia parece que se apaixonar virou algo ridículo, do outro mundo. Porque a internet com suas redes sociais, facilita muito essa interatividade, essa rápida troca de informações, mas, aonde foi que deixamos de nos olhar, olhos nos olhos, para dependermos de aplicativos de paquera?! Aonde foi que deixamos nosso instinto de viver em bandos, em colmeia, para sermos solitários? Quem foi que disse que amar é ruim?!! Apegue-se! Apegue-se á um olhar intenso, á um sorriso imenso, á braços suaves em abraços fortes. Apegue-se á uma música, a escute incansavelmente no volume máximo, decore a letra e faça dela a música da tua vida! Apegue-se á um doce específico, pode ser aquele que só a sua vó sabe fazer, e atire-se nele sempre que puder! Acredite, um dia isso pode lhe causar uma saudade imensa... mas, nunca deixe de apegar-se por medo da saudade, ela é a consequência natural, é o atestado que o coração emite, toda vez que vivemos algo bom! Só não tem saudade, quem nunca se apegou a nada. E quem nunca se apegou a nada, não sabe, realmente, qual é o sentido dessa vida. Estamos aqui para amar! Viemos com amor atávico, de fábrica. Somos amados desde que ainda somos um mero embriãozinho...às vezes, somos amados antes mesmo de pensarmos em existir. A nossa natureza é essa! É o dom divino que o Criador nos deu! O resto...o resto nós que inventamos, para acabar com o amor. Apegue-se aos seus pais, o máximo que puder. Apegue-se ao seu filho, ao seu bebê, sem medo dele ficar mimado ou dependente de você! Apegue-se ao seu bichinho de estimação e receba um amor verdadeiramente puro, de volta! Apegue-se ao que te faz bem! Pode ser á pequeninos hábitos eu te fazem feliz, como tomar café da manhã em família, ou comprar diariamente seu jornal...afinal, a verdadeira felicidade é um emaranhado dessas pequenas coisas corriqueiras, e não um evento magnânimo, como muitos pensam. Nem sempre pode ser noite de réveillon, mas sempre deve ser véspera. Entende?! Apegue-se á dias ensolarados, manhãs cheirando café fresco...Apegue-se às tuas flores e as veja florescer muito mais intensas. Assim também é a nossa alma humana, o amor é nosso adubo perfeito! “ Ainda que eu falasse a língua dos homens, que eu falasse a língua dos anjos, sem amor, eu nada seria.” Entregue-se. Sem medo de roubarem o seu coração, pois ainda é melhor um coração roubado e batendo, do que um coração sempre ritmado que nunca saiu de si mesmo. Apegue-se á aquele beijo que faz teu corpo arrepiar, á aquele toque que te faz tocar as nuvens sem sair do lugar... Parece que a nossa geração está fazendo questão de desaprender como é bom ter alguém para compartilhar a vida no final do dia! Como é maravilhoso ser alguém com quem se possa contar. Estamos tentando, bravamente, fazer o caminho inverso. E o pior: Estamos conseguindo. Estamos banalizando tudo, trocando beijos e pessoas, como se fossem descartáveis, como se o normal, de repente, fosse ter vários e no fundo, não ter ninguém. Estamos com nossas redes sociais cheias e nossos corações vazios. Com 100 amigos no chat, e sem nenhum em casa numa sexta de noite... Paramos de olhar para as pessoas, para o movimento das nuvens no céu, para as paisagens que nos cercam, para olharmos para pequenas telas, que estão nos mostrando exatamente isso! Estamos curtindo uma foto produzida e cheia de efeitos, e menosprezando quem efetivamente quer e está ao nosso lado. Morremos de medo de expormos nossos sentimentos, de mudarmos nosso “status”, nossas vidas, de perdermos “oportunidades melhores”, de sermos traídos. Medo do que as pessoas vão falar. E nos esquecemos da grande capacidade de regeneração que nosso coração possui. Não tenha medo de te magoarem, tenha medo de passar por este mundo sem nunca ter sentido algo absurdamente forte e verdadeiro por alguém. Apegue-se! Apegue-se à vida que sutilmente vai passando sem que você ao menos se dê conta. Apegue-se á aquele café com pão de queijo da esquina do seu trabalho, e seja fiel á ele! Seja fiel aos teus amigos, e mais importante de tudo, seja fiel á si mesmo!!! Não abafe sua vontade de amar alguém. Não tente conter o seu ímpeto, por medo de uma possível dor. DOR mesmo, passa quem quer se apegar e não tem á quem... Dor, é chegar no final de vida, sem nunca ter sido uma saudade bonita pra ninguém. Apegue-se ao ato de apegar-se. Desenvolva laços e desfaça teus nós. Deixe alguém se apegar á você. Permita-se ser amado, isso é tão, ou mais importante, do que saber amar. A vida fica muito mais gostosa quando paramos com os joguinhos, e aprendemos a brincar... Pense nisso! Bruna Stamato

Nenhum comentário:

Postar um comentário